Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Quem foram os verdadeiros apóstolos?’ Category

QUEM FORAM OS VERDADEIROS APÓSTOLOS?


Na tradição cristã, os apóstolos, também chamados de discípulos de Jesus, foram os judeus enviados (como indicado pela palavra grega ἀπόστολος, apóstolos) por Jesus para pregar o Evangelho, inicialmente apenas aos judeus e depois também aos gentios (pagãos), em todo o mundo antigo. Eram em total doze pessoas.

Segundo o Evangelho de Lucas, “Ele chamou para si os seus discípulos, e deles escolheu doze, a quem ele chamou de apóstolos” (Lucas 6:13).

Examinando, ainda que rapidamente, as informações bíblicas pertinentes ao tema, podemos destacar o seguinte:

1º) APÓSTOLO, no sentido restrito do termo, só é aplicado aos DOZE discípulos, chamados e escolhidos por Jesus (Mt 10. 1-4; Lc 6. 12-16), os quais tinham as seguintes credenciais:

a) Andaram com Jesus, recebendo seus ensinos;

b) Foram testemunhas oculares de sua morte e ressurreição (?);

c) Receberam capacitação para operar sinais e prodígios (At 1. 21-22; II Co 12.12).

Nesse sentido, é claro, os apóstolos não têm sucessores, pois testemunha ocular não pode ter sucessor! Os DOZE apóstolos teriam lugar ímpar, especial, na formação da igreja (?), o edifício espiritual, cuja pedra principal seria Cristo (Ef 3.20). Os apóstolos, sendo o início desse edifício, tiveram uma parte indispensável e intransferível. Nesse sentido restrito, portanto, não há novos apóstolos. Por isso, não encontramos em lugar algum do Novo Testamento algum apóstolo instituindo ou estabelecendo outros apóstolos nas igrejas locais. Os títulos que se davam aos líderes na Igreja são bem conhecidos no Novo testamento: Bispo, Presbítero, Pastor (o menos usado), “os que presidem”, ou simplesmente “líderes” (Atos 20.28; 14.23; Fp 1.1; Tt 1.5)

Sendo assim, sabemos que o significado original do vocábulo apóstolos quer dizer “enviar”.

2º) PAULO, conhecedor disso, não poupou a si o uso da palavra “apóstolo”; antes, das 22 vezes no Novo Testamento onde o mesmo é referido como apóstolo, 12 foram afirmações do seu mais próximo companheiro de viagem – Lucas. As demais… foram auto-afirmação da parte dele.

3º) Além disso, Paulo ainda ousou escrever cartas sob a afirmação de que tinha recebido (esse evangelho) da parte de Cristo por revelação: Ef 3.3; Rm 16.25; Gl 1.11-12. Confira: “meu evangelho” – Rm 2.16; I Tm 1.11; 6.14; Gl 2.7; At 13.46; 22.21; I Ts 2.4.

Nessas suas cartas (evangelho), usou o termo apóstolos à vários companheiros seus, como foi o caso de Tito, levando uma oferta de amor para os pobres da Judéia. Termo esse que traduzido para o português ficou mensageiro (II Co 8.22-23).  Também aplicou o termo à Junias, Andrônico e Barnabé (Rm 16.7; At 14.14).

Por que é tão difícil para os cristãos perceberem o verdadeiro caráter desse suposto apóstolo? Não vemos em nenhum dos registros sobre o Cristo, alguma menção sobre um futuro apóstolo que daria continuidade ao trabalho dos 12 discípulos e que o mesmo instruiria a igreja mais do que o próprio PEDRO que em Mateus 16.18, o Cristo lhe deu o devido destaque na história.

Apesar de não ter sido nomeado por Jesus, nem cumprir os requisitos posteriormente impostos por Pedro; somente Paulo se declarava ser apóstolo. Ele aparece mais do que o próprio Cristo no N.T.

– Declarou ser apóstolo de Cristo em 9 de seus 13 livros e ainda declara que seu apostolado é por decreto divino e soberano.

– O falso apóstolo chegou a utilizar as Escrituras e antigas profecias, como a de Isaías 49.6 a si próprio, (cfr Atos 13.47-49).

– Teve o descaramento de subestimar os apóstolos (II Co 11.5,10). Talvez porque percebia que os discípulos escolhidos pelo Cristo eram pessoas humildes e incultas?

– Comparou a si mesmo com os apóstolos Pedro, Tiago e João (Gl 2.6,7,9).

– Ousou repreender a Pedro (Gl 2.11-14). Mas caiu em contradição (I Co 9.19-22; 10. 31-33).

– Se colocou acima de todos os apóstolos e amaldiçoou os que se atreviam a seguir algo diferente do que ele ensinava (Gl 1.8,9).

– Mentiu: Rm 3.7;

– Fingiu: I Co 9.20-21;

– Fraudou: Fl 1.18.

E que apesar de todas as suas “falhas”, os cristãos de hoje ainda o reverenciam e o idolatram!

Veja também: Paulo – o falso apóstolo! [Clique aqui]

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: