Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘O que os evangélicos fundamentalistas entendem por estupro?’ Category

lot

Os brasileiros estão estarrecidos com a notícia de que uma adolescente de 16 anos foi vítima de um estupro coletivo em uma comunidade da zona oeste do Rio de Janeiro. A jovem que acredita ter sido dopada e ao voltar à consciência, estava sendo estuprada por 33 homens.

Um vídeo gravado após o crime, com a vítima nua e desacordada, foi postado nas redes sociais. Dois suspeitos já foram identificados. Um deles, que atende por Michel postou a gravação no Twitter na terça-feira (24/05). Fizeram um vídeo em que ele e outro comparsa exibem a jovem sem roupas e narrando as atrocidades:

“Amassaram a mina, intendeu (sic) ou não intendeu (sic)? Kkkkkkkkkk” – rabiscou o animal que postou.

Um dos 33 monstros afirmou: “Essa aqui, mais de 30, engravidou”. Enquanto exibiam o órgão genital da menina, dizia: “Olha como que tá (sic). Sangrando. Olha onde o trem passou. Onde o trem bala passou de marreta”.

Depois da divulgação do vídeo, um deles que aparece nas imagens deletou sua conta na rede social. Mas já tinha sido tarde demais, pois outros quatro rapazes compartilharam o vídeo.

Entretanto, quando me referi acima que os brasileiros estavam estarrecidos com o crime, não incluí a classe evangélica fundamentalista nesse meio, pois agora silenciam sua “santa indignação” nas redes sociais como um grupo apático ao ato criminoso.

legion-03

Talvez porque evangélicos-fundamentalistas só foram condicionados a entenderem o que o livro de Gênesis realmente considera um estupro no caso do relato sobre Sodoma. O que dizer de um grupo que se diz cristão, mas que só se indigna vorazmente sobre uma suposta tentativa de estupro contra FORTES E PODEROSOS ANJOS MASCULINIZADOS? Fica evidente que nas mentes alienadas destes religiosos é inadmissível uma tentativa de estupro contra os tais seres que nem ânus ou pênis tinham e que eram superiores em poder e força sobrenatural a meros humanos os quais hipoteticamente os ameaçavam com a “única arma” – um pênis.

Mas a respeito da garota… O silêncio raivangélico impera!

13312904_1250806144938230_8041311195530102717_n

Como se não bastasse, ainda temos a aprovação do projeto do deputado – então evangélico que responde processo por roubo – Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que modifica a Lei de Atendimento às Vítimas de Violência Sexual (Lei 12.845/13). Cunha ousou prever nessa lei como deve ser o atendimento a mulheres que foram vítimas de estupro; e a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (21/05) e permitiu que o profissional de saúde desse informações à vítima de estupro sobre seu direito ao aborto, mas introduziu a obrigatoriedade de registro de ocorrência e exame de corpo de delito. Além de modificar a lei, a proposta de Cunha também torna crime uma prática que hoje é uma contravenção – o anúncio de meios ou métodos abortivos – e pune como crime quem induz, instiga ou auxilia num aborto, com agravamento de pena para profissionais de saúde, que podem chegar a ser detidos por 1 a 3 anos. Em outras palavras, se a garota engravidar de um dos 33 marginais, ela enfrentará sérios problemas com a nova lei de Cunha.

13310404_1389027774456380_9174418095027146372_n

Acho que o deputado cristão esqueceu que não existe o registro de ocorrência e nem corpo de delito dos anjos quase “sodomizados”… apenas os “relatos” contestáveis de quem os escreveu.

O deputado Evandro Gussi (PV-SP) relator do projeto do presidente da Câmara (evangélico) afastado por corrupção, bradou: “Nós viemos aqui para defender a vida;  punir quem de forma covarde faz anúncio ou induz alguém a fazer aborto é uma medida justa para coibir esse crime”.

13319955_960480690734045_8139377394097829096_n

O contraditório na fala do infame relator é que essa “defesa” que ele e seus comparsas fundamentalistas fazem da “vida” só se aplica a fase de gestação, pois após o nascimento já silenciam a “santa indignação” a respeito dos versículos bíblicos em que crianças são espancadas e assassinadas brutalmente por ordens daqueles que consideram “escolhidos por Deus”:

 “Feliz o homem que arrebentar os seus filhinhos de encontro às rochas”. (SALMOS 137.9)

“Por fora devastará a espada, e por dentro o pavor; ao jovem, juntamente com a virgem, assim à criança de peito como ao homem encanecido”. (Deuteronômio 32:25)

 E pasmem os leitores… Silenciam também a respeito de versículos em que os próprios homens de Jeová ordenam transpassar à espada mulheres grávidas. Quer saber quais são?

“Samaria virá a ser deserta, porque se rebelou contra o seu Deus; cairão à espada, seus filhos serão despedaçados, e as suas grávidas serão fendidas pelo meio”. (Oséias 13:16)

“Então Menaém feriu a Tifsa, e a todos os que nela havia, como também a seus termos desde Tirza, porque não lha tinham aberto; e os feriu, pois, e a todas as mulheres grávidas fendeu pelo meio”. (2 Reis 15:16)

Só nos resta combater a mentalidade insana destes fundamentalistas e seus conceitos baseados num “livro” escrito por pessoas ignorantes. Não podemos aceitar que nossas leis sejam modeladas às leis bíblicas as quais só valem e norteiam a vida daqueles que as aceitam e nelas creem.

Diga não ao conceito evangélico-fundamentalista de estupro forjado no que eles chamam de a “palavra de deus”.

Por Andrea Foltz

caso de estupro.jpg

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: