Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘ouvir vozes’

Ontem, no canal para qual escrevo, recebi um comentário que condensa de maneira cristalina a mentalidade religiosa. Uma pérola que traduz a “crase sanguínea” da mentalidade fundamentalista: “MAS PARA QUÊ PROVAS?”.

Refleti por alguns segundos antes de responder, não porque as respostas não fossem simples e de meridiana clareza. Mas porque precisava fazer o meu “mea culpa” e aceitar que o crente não precisa de provas, ele apenas crê.

No entanto, existem alguns problemas intransponíveis com isso. E eles são como o elefante na sala de jantar. Não há como não enxergá-los.

Quando esse fanático afirma que não precisa de evidências, mas propagandeia que seu deus pessoal, onipotente, onisciente e onipresente realiza curas e opera milagres em um mundo material, ele não entende que PRECISA SIM PROVAR O QUE PROFESSA.

Quando ele vende esse produto, veste essa fantasia, conta o conto de fadas para outros, ele assume tal responsabilidade. Quando ele enche de esperanças o coração de um enfermo, promete locomoção irrestrita a um deficiente físico e vida eterna a quem está do lado em troca de seus suados 10%, ele se compromete. Mas não se compromete com sua crença. Isso é problema dele. Ele se compromete com o efeito de sua assertiva. Ele se compromete com o resultado. Ele se responsabiliza pela pessoa a quem entregou um presente fechado, mas garantido. Não assumir isso é leviano, é covarde. Culpar um deus, não importa qual, que não lhe passou procuração para tal ato e depois chutar para escanteio, quando o óbvio acontece é criminoso.

Então eu respondo porque precisamos de provas e evidências. Precisamos de provas e evidências para que não nos enganemos. Porque SABEMOS que a mente frequentemente se equivoca, nos fazendo ver e ouvir coisas que não existem, e que por outro lado, NÃO sabemos que deus existe. Precisamos de provas e evidências porque as percepções se distorcem, inclusive as nossas. Precisamos de provas porque são elas que nos resgatam de nossa ignorância. São elas que nos mostram o quão arrogantes somos em nossas “certezas”. São elas que nos lembram a cada segundo que somos humanos. Falíveis. Evolutivos. Frágeis.

Sim, somos frágeis. Somos acometidos por doenças terríveis, nossos membros podem ser perdidos por inúmeros motivos e nunca mais se regenerarão. Nosso cérebro pode sofrer de males degenerativos como Parkinson e Alzheimer. Ainda assim, esse teimoso primata, esse persistente bípede, esse ser tão sensível às alterações climáticas ainda busca provas. Ainda implora por razões. Maldito homo sapiens. Porque desafias a deus?

Talvez porque toda vez que esse mesmo homem adoece só pode contar consigo mesmo. Porque quando tem uma infecção, foi o fruto de seu trabalho que o curou. Porque a penicilina não lhe fora enviada em um ramo incandescente.

Se hoje cânceres são curados, órgãos são reparados por maravilhas como a laparoscopia, doenças emocionais e mentais são tratadas por serotonina enviada como um míssil teleguiado ao “coração do problema”, agradeçam aos homens!

Sim, isso mesmo, agradeçam aos homens seus ingratos. Vocês religiosos cospem no prato em que comem todas as vezes em que atribuem tais benesses a um ser que nunca lhes deu sequer “bom dia” e afirmam que foi ele quem curou seus filhos, ao arrepio do crédito que deveriam dar ao ser humano falível que estudou durante anos para compreender o funcionamento e receitar o melhor antibiótico. Esse mesmo antibiótico que, aliás, também foi criado pelo homem.

Você religioso antes de tudo, tem que compreender que és um traidor de sua própria espécie, cada vez que afirma que o gol foi divino e que apenas o chute foi humano.

Porque você religioso leva sua família ao hospital quando a mesma adoece? Não confias em teu deus? Porque usa óculos para curar a miopia que te acomete? Melhor…porque seu pastor usa óculos também? Onde se meteu o tal do “jogue seus óculos fora, pois em nome Jesus estás curado”? Que hipocrisia é essa?

Mas saibam que existe o outro lado! Querem provas ou evidências? Sem problemas, as entregamos! Todos os dias! Todas as vezes que você ingere uma aspirina e se sente melhor, somos capazes de explicar com detalhes porque isso aconteceu. E você religioso, consegue justificar alguma “suposta cura”, “alguma intervenção divina, alguma intercessão mediúnica”? E o mais bonito! Quando a ciência erra, começa de novo, procura novos caminhos. Admite o erro, seu próprio método previne a apelação infundada. A ciência é humilde e se renova, se critica em cada pipeta, em cada tubo de ensaio.

Já na religião acontece o oposto com seus dogmas puídos. Me expliquem então vocês religiosos, porque seu deus não cura os amputados. Expliquem porque com o aperfeiçoamento dos exames para detecção com precisão do HIV as inúmeras “curas pentecostais” não ocorrem mais. Expliquem a existência de tantos cegos ao redor do mundo? É porque são ateus? É porque são pecadores? E as crianças cegas? Foi o pecado que as deixou assim? Foi por merecimento? Ora, vocês não têm vergonha?????

Mostrem-nos os laudos, os exames, os artigos científicos publicados e revisados que comprovem tais “milagres”. Que avalizem tais embustes!

Sei que o pedido é vão, é improfícuo. Sei que vocês não possuem tais documentos e nem poderiam. Sei que a venda de favores celestiais e benesses do além, nunca se confirmou. Mas esse não é o problema. Vocês são livres para acreditarem no que quiserem. Mas nesse processo, não iludam gente humilde. Não lhes tomem os seus salários. Não tragam alento onde não há alento a não ser aquele trazido pela honestidade.

Entendam que nesse mesmo momento, é muito provável que exista um homem de fé, com os joelhos sangrando em um genuflexório espalhado em nosso país, orando para que seus dedos decepados se refaçam, para que sua visão se restabeleça. Isso é justo com ele? Vamos lá, desçam de seus pedestais! Deixem de lado seu narcisismo ilimitado de acreditar que um ser todo poderoso trabalha para vocês e me respondam? Isso está certo?

Se a dúvida singrou em sua consciência, mesmo que por apenas um segundo, já atingi meu objetivo. Faça algo de útil e pegue esse segundo de dúvida e o transforme em um minuto e depois o estenda para uma hora. Abra os livros seculares que você fechou para ler a Bíblia, pergunte ao seu professor de ciências, busque respostas lógicas, satisfatórias, se deleite nas maravilhas científicas que trouxeram luz aonde só havia escuridão. Regozije-se com o trabalho de cientistas que abdicaram de tudo para que você pudesse dobrar ou até triplicar a expectativa de vida acima dos 30 anos, que era aquela que existia no tempo dos homens que escreveram seus livros sagrados.

Por fim, quando você religioso de qualquer crença for dormir à noite e em seu atavismo de arlequim for “conversar” com deus, pergunte-lhe porque não debela tais dúvidas. Pergunte-lhe porque não cura os amputados, porque parou de ordenar: “levanta-te e anda”.

Pergunte-lhe porque todas as vezes que precisou dele teve que resolver sozinho seus problemas. Pergunte-lhe porque ele permite que crianças sejam molestadas, muitas vezes por seus próprios representantes aqui na terra. Pergunte-lhe porque não atua diante de tragédias naturais que ceifam, de forma comezinha, a vida de milhares de pessoas ao redor do mundo, enquanto ao mesmo tempo, entrega favores fúteis como a compra de um carro Zero km nos templos de mármore de nosso país. Pergunte-lhe porque permite o mal e insista que se o mal for causado pelo Diabo, porque então permite que o Diabo o faça.

Mas acima de tudo, pergunte a deus porque ele não responde com algo mais do que uma “sensação” ou uma “voz dentro de sua cabeça”.

Se você for honesto o suficiente, “ouvirá” outra voz. Não, ela não é uma sensação ou uma voz dentro de sua cabeça e nem virá na forma de ondas sonoras.

 Ela virá como um soco no estômago. Um tapa na cara! ELA É A VOZ DA RAZÃO! É a voz que não cala, que mata a cobra e mostra o pau. É a voz que pergunta, mas que também responde. É a voz que afirma que metafísico é o caralho, que transcendental é a mentira disfarçada de filosofia. É a que implora por questionamentos, é a que certifica que a fé é inútil e supérflua. É única voz com a qual de fato você pode contar nos momentos decisivos de sua vida. É A SUA PRÓPRIA VOZ!

Se ela não for suficiente, eu sinceramente lamento. Não há nada a fazer a não ser crescer. A não ser deixar a infância para trás e encarar a realidade da vida com suas tragédias e perdas incessantes.

Destarte, se depois de todas essas perguntas para deus ele não te responder, não o culpe. Não se zangue com ele. Ele não responde porque não pode. Ele não pode porque desde o momento em que se criou o primeiro microscópio sua voz foi ficando mais fraca.

Ele não responde porque é incapaz. Ele não responde porque não possui as respostas. E não as possui porque só você pode obtê-las. No dia em que você religioso descobrir que esteve falando consigo mesmo, será o dia em que se libertou. Será o dia em que entendeu que suas certezas divinas nunca existiram. Será o dia que descobriu que é possível mudar. Será o dia em que se deu conta de que quando pensamos que sabemos todas as respostas, vem a vida e muda as perguntas…

                                    Humberto P. Charles

 

Anúncios

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: